Buscar
  • Tamira Teles

O Despertar do Bebê nos 3 primeiros meses

Atualizado: 28 de ago. de 2021

Intitular a série de marcos do desenvolvimento como ‘despertar do bebê’ é um convite ao exercício de empatia para com a criança que chega ao mundo. Quando um bebê nasce para o mundo, também um mundo nasce para ele. Esse mundo que se inicia de forma súbita ao nascimento, vai tomando forma aos poucos, e com o passar dos dias e semanas esse novo ser vai percebendo o que se passa ao seu redor. A criança que nasce, não enxerga como nós, mas vê vultos. Não reconhece ainda os limites do próprio corpo. Percebe e reconhece o mundo através dos sentidos; vozes e sons familiares, odores, tato, sabores. Com o desenvolvimento neurológico essa percepção vai ficando mais acurada, e o bebê vai despertando para o mundo. Quando falamos em desenvolvimento neuropsicomotor, nós pediatras, estamos vigilantes aos sinais de alerta, referente ao tempo máximo esperado para uma determinada habilidade. Sob a ótica do bebê, cada marco é uma descoberta. Os primeiros 3 meses chamamos também de 4º trimestre, que se popularizou como “exterogestação” através do Dr Harvey Karp. Esse período remete a transição do bebê para o ambiente extra útero. O bebê que nasce não enxerga, não se locomove, não se comunica, sua pele é fina e mais permeável que a de um adulto. Nesse contexto, o desenvolvimento neuropsicomotor que comumente colocamos em marcos faz parte do conjunto de características deste nascimento. Ao final de 3 meses, o bebê que não enxergava já identifica formas, reconhece o rosto da mãe e algumas cores, interage com o ambiente através não só do choro, mas também do sorriso e dos primeiros movimentos voluntários. Ao nascer todos os reflexos primitivos (respostas motoras automáticas) estão presentes, e no final do primeiro trimestre, algumas respostas a estímulos antes automáticas são substituídas pelos primeiros movimentos voluntários: O bebê sorri, olha e observa as mãos e intencionalmente leva as mãos a boca para explorá-la, sustenta o tronco e vira a cabeça em direção aos sons. Tenta comunicar-se através de uma linguagem inicial de barulhos e gorgolejos. DICAS PARA FAVORECER A ADAPTAÇÃO DO BEBÊ: · COLO: contato físico, pele a pele · Amamentação em livre demanda: além de manter o bebê alimentado, permitir a sucção para acalmar, reconhecer que é uma necessidade natural do bebê · Balanço suave: no colo, carrinho, rede · Som neutro ou ruído branco= shh shh shh · Banho: no balde, ou mesmo imersão em banheira · Manter atividades regulares e previsíveis do dia e da noite · Prestar atenção aos diferentes choros para que você aprenda o que ele quer. PARA ESTIMULAR O BEBÊ: · Abrace, converse na hora de amamentar, trocar de roupa e tomar banho. · Permita que o bebê chupe os dedos. · Sorrir e interagir quando ele fizer sons. · Copie os sons do bebê de vez em quando, mas também use uma linguagem clara. · Converse, leia e cante para seu bebê. · Momentos de atividade com o bebê de bruços, seja no colo, ou em uma superfície firme. Seguiremos a série “Despertar do Bebê” com o 2º trimestre no próximo texto. Espero que tenham gostado.

6 visualizações0 comentário